Fã do interior de Jaguarari agredido por Ferrugem avalia processar cantor: "Não teve humildade para pedir desculpa"


Aerton Bonieck, o rapaz que teve o braço pisado pelo cantor Ferrugem em um show em Senhor do Bonfim, no interior da Bahia, durante o tradicional Forró do Sfrega, afirmou que avalia mover um processo judicial contra o artista.

Em conversa com o bahia.ba, o mecânico industrial de 28 anos disse que não foi procurado em nenhum momento pela equipe do artista. Ele contou que irá conversar com a família para tomar uma decisão e admitiu ter ficado mais ofendido com a declaração do ídolo, do que propriamente com o pisão no seu braço.

“Fiquei mais ofendido com as palavras dele, foi desnecessário o que ele fez, fiquei sentido. Aconteceu o que aconteceu e ele não teve humildade para pedir desculpas, o que agravou mais ainda a agressão”, relatou Aerton, que mora no distrito de Pilar, no município de Jaguarari, a 424km de Salvador. Fã assumido do artista, ele admitiu que poderia inclusive “esquecer” a agressão, mas que a justificativa dada por Ferrugem foi uma “covardia”.

“O pisão em si até poderia esquecer, mas o que ele falou foi uma covardia muito grande da parte dele”, disse. “Se tivesse ferido, ele sairia mancando no palco” argumentou. Nas redes sociais, Ferrugem disse que Aerton, que desembolsou R$ 210 para cada dia de show, socou o seu pé e cravou a unha nele, e por isso precisou se “defender”.

Nesta terça-feira (25), o mecânico ja havia contado a sua versão sobre o caso em post feito no Instagram. Ele disse que não vai parar de ouvir Ferrugem, mas que decidiu não ir mais a nenhum show dele. “Infelizmente, o que você canta, você não transmite”, escreveu.


https://www.instagram.com/p/BzJLqGlh_K4/?utm_source=ig_web_button_share_sheet

Nenhum comentário