“Precisamos do apoio da sociedade para trabalhar”, diz novo comandante da PM de Jaguarari

Capitão Fábio Henrique - novo comandante da 3ª CIA/PM - Foto: Portal Jaguarari

Com quase 22 anos de experiência na Polícia Militar da Bahia, o Capitão Fábio Henrique dos Santos Pereira assume o comando da 3ª Companhia, veiculada ao 6º Batalhão, que era ocupado pelo Capitão Eliotério Peixinho de Souza. Nomeado em 24 de março pelo Governador Rui Costa, o Capitão Fábio Henrique, estar a frente da 3ª CIA, a aproximadamente duas semanas. O novo comandante da PM de Jaguarari tem em seu currículo o sub-comando da CIPT-NORTE (Companhia Independente de Policiamento Tático), mais conhecida como RONDESP-NORTE, localizada em Juazeiro. 

Mesmo com pouco tempo à frente da Policia Militar de Jaguarari, o oficial já se mostrou que está bem inteirado as problemáticas do município, e apresentou seu “cartão de visitas”, contra os traficantes, dando um prejuízo grande ao tráfico de drogas, durante uma ação de rotina realizada, na última quinta-feira (22/04), na Rua das Flores, apreendendo grande quantidade de maconha, crack e cocaína, além de balança de precisão e uma boa quantia em dinheiro, efetuando a apreensão de um menor e a prisão de sua madrasta. 

“A ação, foi realizada de forma rotineira e vai ser de forma corriqueira, nós estávamos executando abordagens, tanto aqui, quanto nas estradas vicinais e nas proximidades do ‘Verdurão’, como nós sabíamos que poderia existir o tráfico de drogas naquela região, nos deparamos com uma pessoa, e ao aborda-la, ela tentou dispensar um invólucro, e nesse invólucro nós constatamos que havia uma substancia de aparecia a maconha, e questionado sobre mais, ele disse que na porta do ‘verdurão’ tinha mais, e para finalizar a diligência e normalmente a gente pergunta onde a pessoa mora e se existia mais drogas, o mesmo informou que na sua residência existia mais uma quantidade, deslocamos até lá e encontramos a madrasta com uma mochila, com uma certa quantidade de droga, na verdade existia uma boa quantidade de maconha, certa quantidade de crack e cocaína ao meu ver uma boa quantidade, que vai dar um prejuízo ao tráfico local”.

Em relação ao pouco efetivo para um município com uma área bem extensa de 2.567 km², para uma população de aproximadamente 35 mil habitantes, em sua maioria rural, o Capitão disse que apesar desse obstáculo, com planejamento e apoio esse problema pode ser resolvido. 

“Todos nós sabemos que existe uma deficiência no policiamento, mas que pode ser sanada com planejamento, nós estamos aí juntos com o poder municipal na pessoa de Seu Antônio tentando ver uma possibilidade de trazer outra viatura para o município, mesmo com o efetivo diminuto a gente possa alcançar o interior do município, fazendo rondas no interior, a gente sabe que o interior do município é muito carente. Vamos tentar alcançar o máximo o nosso interior do nosso município e vamos pleitear juntos com o coronel tanto a CETO (Companhia de Emprego Tático Operacional) como da RONDESP quando necessitarmos, por que sabemos que eles tem suas obrigações em outros municípios tanto em Juazeiro quanto em Senhor do Bonfim, mas na medida do possível, a gente vai tentar para que ele nos de esse apoio”

Perguntado sobre os crimes que causam mais denúncias no município como: Violência doméstica, perturbação do sossego, principalmente motocicletas com descargas adulteradas, o Comandante afirmou que a PM já está agindo e explicou a dificuldade sobre o crime de violência doméstica. 

“Nesses crimes aí a gente já está atuando, principalmente na questão das motocicletas, sabemos que é um problema aqui no interior do município, lá em Santa Rosa recebemos denúncias de motocicletas adulteradas com Kadron, já tivemos no local já mantivemos contato com alguns proprietários, como eu venho dizendo não queremos prejudicar o trabalhador que tem sua moto pra ir a sua roça pra ir trabalhar e fazer suas correrias, mas já identificamos algumas pessoas, já conversamos com elas e já solicitamos a retirada do Kadron, caso não retire, na próxima visita ao povoado nós vamos apreender todas as motos que tiver com Kadron até regularizar, sabemos que a maioria dessas motos está com documentação atrasada e caso não regularize vamos levar para o Detran ou para Ciretran e, a respeito desses outros crimes como violência doméstica a gente sabe que é um crime de difícil acesso, a agente só tem o acesso depois que acontece, e a gente vai tentar atuar, e é uma ação mais da polícia civil, a gente já está trabalhando com a polícia civil, falamos com a delegada que é nossa parceira, já sentamos, já conversamos, estamos aliando, vem nos ajudado já com algumas informações, sabemos que o efetivo dela é diminuto também e que ela precisa do nosso apoio e nós precisamos mais dela. Vou precisar do pessoal da imprensa, vou precisar da divulgação que solicite informações e precisamos de informações da sociedade”

Sobre as estratégias empregadas pela 3ª Companhia para levar mais sensação de segurança, o Capitão disse que a principio a preocupação é com os policiais ter um conforto e liberdade para trabalhar, consequentemente realizando um trabalho de excelência para sociedade. 

“Primeiro nossa maior preocupação é com o público interno, nós sabemos se o público interno, nossos policiais, não tiverem um conforto uma facilidade e uma liberdade para trabalhar eles não irão atingir o foco principal que é a sociedade, que é a prevenção da criminalidade não vai ser atingido, nós estamos juntando os parceiros: prefeitura, caraíba o pessoal do comercio, algumas parcerias, pra gente tentar da um conforto maior aos policiais, nós sabemos que a maioria dos policiais não moram aqui, deslocam, perdem noite de sono, tem que deslocar de suas cidades até mais de 100 km para chegar até Jaguarari, vamos atender primeiro o público interno e depois relativamente o público externo que é a sociedade. Nosso foco aqui vai ser o tráfico de drogas e assaltantes, sabemos que tem alguns assaltantes, ladrões no interior e aproveitam do retorno dos feirantes, dos comerciantes para suas residências depois do comércio fechado para executar alguns assaltos, precisamos dessas informações, precisamos saber quem são essas pessoas, para que a gente possa atuar”

Ao fim do bate papo com o novo comandante da 3ª CIA, ele frisou que precisa da ajuda da sociedade para que se execute um bom trabalho no município. 

“A polícia militar de Jaguarari como de todos os lugares da Bahia estar de portas abertas para sociedade e que precisamos caminhar juntos, polícia e comunidade juntos, nós vamos fazer o nosso papel de polícia comunitária, mas também fazer nosso papel de polícia ostensiva e quando necessário repressiva, mas precisamos do apoio da sociedade para trabalhar, nós não temos bola de cristal, nós não estamos em todos lugares, as pessoas estão vendo as coisas e precisamos dessas informações que a sociedade nos informe no que ela está precisando, não temos como chegar em todos os locais, mas se formos informados especificamente do que está acontecendo e qual necessidade da comunidade nós vamos chegar até lá”, finalizou o Capitão. 

Desejemos sucesso ao Capitão PM Fábio Henrique, nessa nova missão, agora à frente da 3ª Companhia de Jaguarari. 

Por João Carvalho, Jair Paulo 
Imagens: Werick Lima
Fonte: Portal Jaguarari

Entrevista em vídeo:

0/Faça seu Comentário/Comments

Publicidade

Publicidade