Dia da Pizza: nutricionista dá dicas e alerta sobre o consumo


Quem consegue resistir aquela pizza quentinha e saborosa? Um dos pratos preferidos do brasileiro, a pizza está presente nas comemorações em família, entre amigos, mas comer sozinho também cai muito bem. Só o Brasil produz por dia 1 milhão de pizzas, afirma a Associação de Pizzarias Unidas do Brasil. Tão popular e querido esse prato tem um dia só dele: 10 de julho.

Muitos que desejam seguir a dieta e evitar o ganho de peso eliminam a pizza do cardápio, mas não precisa ser tão radical, como orienta o coordenador do curso de Nutrição, da UNINASSAU Petrolina, Rafael Pinheiro. “Mesmo sendo rica em carboidrato e com valor calórico significativo, o grande X da questão é a quantidade e a frequência que a pessoa consome. É possível, sim, comer pizza sem culpa em momentos esporádicos, sem exageros”, alerta.

Para quem deseja comemorar a data, mas não abre mão da alimentação saudável, há opções de pizzas caseiras. “Pode-se fazer a pizza com massa de aveia e tapioca, de batata, opções que geram saciedade, ricas em fibras e sem glúten, importante para quem não pode consumi-lo”, ensina Rafael.

E na hora do recheio existem opções mais saudáveis como: frango desfiado, atum, tomate, rúcula, manjericão, orégano, cogumelos, cebola, queijos menos calóricos entre outras. “Há como comer bem, com sabor, utilizando alimentos mais saudáveis e nutritivos”, acrescenta o coordenador.

Para quem não quer abrir mão dos sabores tradicionais encontrados nas pizzarias, pode optar por uma massa mais fina, sem borda recheada e mesclar os sabores mais leves com mais calóricos.

Ascom UNINASSAU

0/Faça seu Comentário/Comments

Publicidade

Publicidade