Abatedouro em Irará estrutura cadeia produtiva da avicultura na Bahia

Com o objetivo de garantir para a população baiana o consumo de frango com maior qualidade, mais saudável e sustentável, o Governo do Estado está estruturando a cadeia produtiva da avicultura. Por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), está sendo investido mais de R$1 milhão na qualificação do abatedouro de frango do município de Irará, no Território Portal do Sertão.

O investimento é realizado pelo Bahia Produtiva, projeto executado pela CAR, por meio do convênio com a Cooperativa dos Produtores Rurais de Irara (Coopril), gestora do empreendimento. Os recursos estão sendo aplicados na base produtiva de galinha caipira, implantação de pequenos aviários e requalificação e adequação da estrutura física do abatedouro.

A iniciativa integra a estratégia do governo estadual de qualificar agroindústrias de pequeno porte. Em Irará, a ação envolve uma articulação entre o setor privado e empreendimentos da agricultura familiar. A agroindústria será o primeiro abatedouro de abate de aves caipira, gestado pela agricultura familiar. A inauguração deverá ocorrer até o final de 2019.

O diretor-presidente da CAR, Wilson Dias, destaca que a criação de frango é uma atividade comum em toda região, e que a agroindústria vai potencializar essa criação e melhorar a renda das famílias: “Estamos estruturando a cadeia produtiva do frango caipira no Portal do Sertão, que envolve diversos municípios, sobretudo Irará e Água Fria. Já contamos com um parceiro comercial, que será responsável pela comercialização do frango no mercado de Salvador e Feira de Santana, e caberá aos empreendimentos da agricultura familiar organizar a base de produção, para garantir a matéria-prima de forma permanente”.

Para o presidente da Coopril, Jairo Francisco, é uma nova cultura para os trabalhadores rurais: “A galinha caipira é uma potência aqui na região. Com essas agroindústrias vamos fortalecer a agricultura familiar. Tem muita gente que quer criar galinha, mas não tem onde abater, manter e acessar o mercado, e o Governo do Estado está empenhado em nos ajudar nesse sentido. Muitas pessoas diretamente e indiretamente serão beneficiadas, são muitos empregos que irão abrir na região”.

Os investimentos ajudam a dinamizar a produção da agricultura familiar, com maior nível de tecnologia, na preparação da terra com os tratores e com as atividades de fomento, que ajudam as famílias a terem animais de melhor qualidade e melhoram a produtividade. Com a assistência técnica e extensão rural (Ater), a perspectiva é que as famílias progridam financeiramente e melhorem a sua segurança alimentar.

Ascom SDR/CAR

Nenhum comentário