Grupo que atacou pelo menos cinco carros fortes é desarticulada na Bahia

Ataques a carros fortes no momento do abastecimento no Extra Vasco da Gama (2/10/2018), no Shopping Itaigara (12/03/2018), no Salvador Shopping (13/11/2018), na Caixa de Periperi (11/01/2019) e no Bradesco da Fazenda Grande do Retiro (31/01/2019) foram elucidados nesta quinta-feira, durante operação conjunta entre o Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) da Polícia Civil e as Polícias Militar e Federal.

O grupo já era monitorado pelas forças de segurança estadual e federal, que continuaram o acompanhamento após a tentativa de assalto ocorrida ontem, na Fazenda Grande do Retiro. Os seguranças do carro-forte reagiram, atingindo dois integrantes do grupo.

São eles Samir de Jesus Silva, conhecido como 'Dapapita', que não resistiu aos ferimentos, e Luis Augusto Barbosa Soares, internado no Hospital Eladio Lasserre, sob custódia policial. No veículo utilizado pelo grupo no assalto foi encontrado de alvará de soltura de Luis Augusto, que assim como a maioria dos integrantes do grupo, tinha antecedentes criminais.

Com a identificação dos veículos que participaram da ação de ontem, as equipes chegaram a Raian Nobre Borges, 24 anos, e em seguida, a Vinicius Monteiro de Andrade, 25. Com eles foram encontrados, em uma casa em Jauá, um fuzil M4, calibre 556, várias munições, uma pistola . 40 e coletes balísticos.

Na madrugada de hoje, uma ação das polícias Militar e Federal prendeu outros dois envolvidos, os irmãos Ricardo Brandão Costa, conhecido como Ricardo Surfista, e Florisvaldo Brandão Santos. O primeiro confessou a participação dele e do irmão, que trabalha numa empresa de segurança privada.

"Dos onze casos de assalto ou tentativa a carros fortes na modalidade calçada - aquele em que os bandidos agem no momento do abastecimento ou retirada dos malotes - registrados em Salvador em 2018, todos já tiveram os responsáveis identificados e nove deles foram solucionados com a prisao dos autores", garantiu o diretor do Draco, delegado Marcelo Sansão.

Já o responsável pelo Comando de Policiamento Especializado (CPE), coronel Humberto Sturaro, ressaltou o preparo das equipes para atuar neste tipo de ação. "São bandidos que geralmente atuam com assalto a banco. Eles migraram para a prática na modalidade calçada, justamente devido ao aumento das ações repressivas nas agências. Só que aqui na Bahia, não adiantar mudar de modalidade de crime, a polícia é unida, preparada e mais cedo ou mais tarde a resposta vai chegar", finalizou.

Fonte: Ascom / Kelly Hosana
Fotos: Alberto Maraux

Nenhum comentário