Espaço do leitor: Nova direção da Escola de Produção de Flamengo estaria barrando estudantes sem uniforme de assistir as aulas

Alguns familiares de estudantes da Escola de Produção do povoado de Flamengo, zona rural de Jaguarari, entraram em contato com nossa equipe para expor uma situação no minimo constrangedora, aonde a nova direção posta depois do retorno do prefeito Everton Rocha, estaria barrando os estudantes de adentrar a instituição escolar para assistir as aulas pelo único fato de não estarem uniformizados.

Os familiares relatam que a antiga direção reuniu os pais dos alunos e os informou que devido a instabilidade política em Jaguarari, o uso do uniforme seria opcional, porém uma nova direção estaria enviando "recados" através dos alunos para seus pais, que o uso do uniforme é sim obrigatório.

"Entrou um novo diretor e tá fazendo os alunos voltar pra casa por que eles não tem farda. Em pleno fim de ano escolar ele tá fazendo várias exigências e as mães dos alunos já não aguentam mais recados", disse uma senhora que tem seis sobrinhos estudando na escola.

A mesma senhora fala que a nova direção poderia solicitar uma reunião com a presença dos pais para explicar a situação, mas insiste em enviar "recados", ela completa a denuncia com uma exigência no tanto estranha, em que os alunos não podem ir a escola com blusas de frio, "a nova direção tinha que pelo menos chamar os pais e pronunciar essas exigências, mas não fazem isto ficam só mandando recado pelas crianças. Quer proibir os alunos de irem de blusa de frio e exigiu que a partir de segunda tem que ir de tênis todos os alunos", finalizou.

Sobre o uso do uniforme

Situações como essa ainda acontecem em instituições que desconhecem que o direito ao acesso à Educação, previsto no artigo 208 da Constituição Federal, está acima de leis estaduais e municipais ou normas internas. Qualquer disposição em contrário - mesmo que esteja presente no regimento - é ilegal.

O espaço encontra-se aberto para pronunciamento da direção da Escola de Produção de Flamengo ou da Secretaria de Educação, sobre os fatos acima expostos.

Nenhum comentário