Nota do secretário da Educação da Bahia, Walter Pinheiro, sobre o incêndio que destruiu o Museu Nacional


“O incêndio que destruiu o Museu Nacional, no Rio de Janeiro, foi reflexo do descaso praticado pelo corte de verbas da Cultura, da Educação e da Ciência e Tecnologia. Mais de 200 anos de nossa cultura e história foram consumidos pelas chamas, incluindo verdadeiros tesouros da Bahia, que faziam parte do magnífico acervo. O museu abrigava o Meteorito de Bendengó, o maior já encontrado no Brasil, localizado em 1784, em solo baiano. Outra perda irreparável foi o fóssil da Preguiça Gigante de Jacobina, que media mais de seis metros de comprimento. O Museu Nacional era a instituição científica mais antiga do País e possuía mais de três milhões de itens, configurando-se como o maior acervo da América Latina. Esta perda é irreparável para a nossa memória, história, cultura e para a nossa pesquisa científica”.

Walter Pinheiro, secretário da Educação do Estado da Bahia e senador licenciado

Nenhum comentário