ARTIGO: O CÔNCAVO E O CONVEXO

A copa do mundo em sua 21ª edição, chega a sua reta final, com as equipes da França contra a da Croácia.

Um detalhe pouco percebido por poucos, é que em sua maioria estas equipes participantes deste evento futebolístico é composta por imigrantes. Naturalizados ou com dupla cidadania.
Na copa de 2018, 82 deles tem dupla nacionalidade.

Senão vejamos no caso em voga: A França em 1998 quando foi campeã, uniu a geração conhecida como ' black – blanc – beur' ou negro – branco – amarelo, pela primeira vez, a seleção tinha atletas cujas famílias vinham de antigas colônias francesas na África e no Caribe.

Mais uma vez, o que inspira a seleção Francesa é a união dos ' black – blanc – beur''. Mbappé é filho de pai camaronês e mãe Argelina. Os pais do volante Pogba saíram da Guiné. Griezmann tem pai alemão e mãe portuguesa, Umtiti, Camaronês.

A Croácia é a segunda nação mais jovem a chegar á final, só atrás da Checoslováquia, que em 1934, tinha 1,5 milhão de habitante ( Croácia hoje tem 4,5 milhão ).

O craque da equipe, Modric, por exemplo tem 32 anos, assim como o artilheiro Maandzukic, o meia Rakitic, tem 30, todos nasceram na Iuguslávia, até janeiro de 1992 a Croácia fazia parte oficialmente da Iugoslávia. A independência veio ás custas de sangue do povo Croata.

Os imigrantes em muitos países sejam eles Europeus – asiáticos vivem os dois lados da moeda. Existem os que de certa forma, são bons para determinadas nações – os relatados neste texto - e os que são ruins, a depender do ponto de vista histórico, pois prejudicam a economia do país.

Que ganhe o melhor, mas eu particularmente sou Croácia desde pequenininho.


JOÃO BOSCO

Boskinho Brazil
para o Portal de Jaguarary

Nenhum comentário