ADAB a postos para garantir a sanidade animal na Exporural

Imagem ilustrativa 
A equipe da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), veiculada a Secretaria da Agricultura (Seagri), já está instalada na entrada do Parque de Exposições de Salvador, para conferir a documentação sanitária e examinar todos os animais durante a 17ª edição da Exporural, com objetivo de assegurar a sanidade dos animais durante o período da exposição, nas competições e leilões.

Durante o período de 13 a 21 de agosto, a organização da Exporural estima a participação de 500 expositores em uma das mais importantes feiras de agronegócios do Norte/Nordeste, com a expectativa de mais de 4 mil animais, entre bovinos, equinos, caprinos e ovinos, além de animais de pequeno porte.

“A participação da ADAB em eventos pecuários é de extrema importância, pois garante a entrada de animais saudáveis, evitando a disseminação de doenças. Nesta exposição, em especial, diante do novo concurso exclusivo de crias (borregos e borregas) da raça de ovinos Santa Inês, para fêmeas de até 100 dias e ainda que ainda estejam ao pé da mãe mamando, Quando participam aproximadamente 600 animais vindos dos estados de Goiás, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Sergipe, Alagoas, Pernambuco e Rio Grande do Norte”, afirma o diretor geral da ADAB, Marco Vargas. Vale ressaltar que a Bahia ocupa o segundo lugar no ranking, com aproximadamente 2.815 milhões de exemplares de ovinos, atrás apenas do estado do Rio Grande do Sul (4.223 milhões de cabeças), de acordo com números do IBGE.

Antes da chegada dos animais, os veterinários e auxiliares da ADAB desinfetam todo o local onde os animais serão alojados. Conforme eles começam a chegar, a equipe da Agência confere toda a documentação exigida, que engloba a Guia de Trânsito Animal (GTA), atestados e exames de sanidade dos animais conforme a espécie (bovídeos, equídeos, aves, caprinos e ovinos). Quando o proprietário dos animais não apresenta a documentação exigida, como a GTA, exames e atestados ou ainda que contenham irregularidades, o criador poderá ser autuado e os animais retornam à propriedade para providenciar a regularização, conforme a legislação de defesa sanitária animal vigente.

Para o ingresso nos parques de exposições da Bahia, e do Brasil, o animal ainda passa por vistorias e exames clínicos individuais. Caso apresente alterações clínicas de suspeita de enfermidades, como corrimentos, tosses, mamites, febres e lesões de pele, a entrada não é permitida. “Outro fator que impede o acesso dos animais em eventos é a presença de ectoparasitas, como o carrapato, piolho e sarna, que possam contaminar os outros animais”, orienta o diretor de Defesa Sanitária Animal, Rui Leal, ressaltando que as medidas adotadas envolvem a retenção do animal e o retorno dos respectivos animais para a propriedade de origem.

Essa é uma atividade rotineira e a ADAB segue as exigências sanitárias vigente na lei nº 7.597 de 2000 e decreto nº 7.854/2000, que buscam garantir a sanidade da pecuária baiana.

Amanda Almeida
Assessora de Comunicação
Agência de Defesa Agropecuária da Bahia - ADAB

Nenhum comentário